terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Linhas Niterói e São Gonçalo em 1946

O Globo, 26/11/1946

Empresas em 1966

O Globo, 12/07/1966

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Niterói autorizada a contratar financiamento para a TransOceânica e túnel

22/05/2013 - Jornal do Brasil

Na obra está incluída a construção do Túnel Charitas-Cafubá, sem cobrança de pedágio
Jornal do Brasil

A Câmara de Niterói aprovou, na terça-feira (21.5), a autorização para que a Prefeitura de Niterói contrate o financiamento de R$ 292,3 milhões do governo federal para a construção da TransOceânica, via expressa de aproximadamente dez quilômetros de extensão que vai ligar o Engenho do Mato a Charitas. 

Na obra está incluída a construção do Túnel Charitas-Cafubá, com 1,3 quilômetro de extensão para cada uma de suas duas galerias, sem cobrança de pedágio. A  via também contará com corredor de BRT, seis terminais de integração e estações de embarque e desembarque de passageiros. O projeto prevê, ainda, a implantação de ciclovias.

O prefeito Rodrigo Neves comemorou a aprovação. “A TransOceânica é uma vitória histórica para Niterói. Uma obra prometida há 40 anos e que agora conta com os recursos para ser realizada. Ela será muito importante para ajudar a resolver um dos principais problemas da cidade, a mobilidade urbana”.

A TransOceânica é o primeiro grande investimento em mobilidade que a cidade tem em décadas e prevê a mudança de perfil de toda a região que é hoje o principal vetor de crescimento do município. Além do trânsito, a implantação do BRT também terá impacto no meio ambiente, já que será um transporte público de qualidade, eficiente e moderno, que vai evitar o excesso de veículos nas ruas, contribuindo para a fluidez do trânsito e reduzindo a poluição do ar.

O projeto da TransOceânica, uma das principais propostas de campanha do prefeito Rodrigo Neves, foi contemplado com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O anúncio oficial da liberação dos recursos foi feito pela presidenta Dilma Rousseff em março.

 Licenciamento ambiental

Também na terça-feira, o site do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) publicou a Instrução Técnica para a elaboração do EIA-Rima da TransOceânica – Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental. A publicação é a primeira etapa para o licenciamento ambiental da obra. A instrução ficará no site do Inea por 10 dias para consulta pública. Após esse prazo, o órgão estadual emitirá notificação para a Prefeitura de Niterói contando o prazo para elaboração do estudo.

Autorizado empréstimo para obras da TransOceânica

22/05/2013 - O Fluminense

A Câmara de Niterói aprovou ontem, em sessão plenária, a autorização para que a Prefeitura contraia o empréstimo de R$ 292,3 milhões, junto à Caixa Econômica Federal, para a execução das obras da TransOceânica e do túnel Charitas–Cafubá. Sem data para o início, as obras, com previsão de duração de dois anos e meio, contemplam a construção de uma via expressa que sairá de Itaipu, passando pela Estrada Francisco da Cruz Nunes, indo até o Cafubá, onde se ligará ao túnel que cortará o bairro em direção a Charitas, e  integrará a estação Hidroviária do bairro.

Além dos R$ 292,3 milhões, o município terá que entrar com R$ 15,3 milhões a título de contrapartida municipal. O empréstimo deverá ser pago em 20 anos, após quatro anos de carência, com juros de 6% ao ano. Como a votação na câmara partiu de uma mensagem do executivo para que a autorização fosse votada em caráter de urgência, a expectativa é de que as obras se iniciem já no segundo semestre deste ano e fique pronta em 2015, porém ainda não foi divulgado nenhum cronograma oficial.

O projeto da Prefeitura de Niterói para melhorar a mobilidade urbana inclui a criação de um anel rodoviário inteligente. Para isso serão trabalhadas três etapas. A primeira é a TransOceânica, a segunda, um sistema de BRT, a TransNiterói, e a última, a ligação de Charitas ao Centro através de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT).

quinta-feira, 16 de maio de 2013

Prefeitura de Niterói define trajeto para a TransOceânica


10/03/2013 - O Fluminense, Bruno Uchôa

Obras terão início em 2014 e município já trabalha no projeto do BRT da Região Oceânica à Charitas. Recursos são provenientes do PAC, diz a secretária de Urbanismo, Verena Andreatta

As obras para a implantação da TransOceânica, que ligará o Engenho do Mato a Charitas, devem começar até o próximo ano. A informação foi confirmada pela secretária de Urbanismo, Verena Andreatta. Os recursos para a obra, provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), foram anunciados na quarta-feira pela presidente Dilma Rousseff. Serão R$ 292,3 milhões.

O BRT terá 9,3 quilômetros de extensão, seguindo o trajeto da Avenida Francisco da Cruz Nunes, com previsão de quatro pontos de parada, além dos dois terminais e a construção do túnel Charitas-Cafubá. A secretária informou que a Pasta está trabalhando no projeto executivo do BRT.

“Nós concluiremos o projeto ainda este ano e as obras devem começar em 2014. Os recursos foram liberados e vamos começar as negociações com a Caixa para liberação dos recursos”, disse Verena.

O BRT começará na interseção da Avenida Francisco da Cruz Nunes com a Avenida Irene Lopes Sodré, próximo ao 4º Grupamento Marítimo, onde será erguida a Estação Terminal do Engenho do Mato. A segunda estação está planejada para ser construída na interseção entre Francisco da Cruz Nunes e a Avenida Central, perto de um posto de gasolina.

O terceiro ponto, Estação Piratininga, está previsto para uma área próxima ao Itaipu Multicenter. De lá a próxima parada do BRT segue o encontro entre a Francisco da Cruz Nunes e a Avenida Conselheiro Paulo de Mello Kalle, junto ao DPO da 1ª Companhia. A quinta estação será implantada na Praça do Cafubá e a estação terminal será ligada às barcas em Charitas.

Para evitar processos mais longos de desapropriação de imóveis, um segundo trajeto está sendo estudado pela Pasta. A alternativa ligaria as estações da Praça do Cafubá e do Itaipu Multicenter através da Avenida Raul de Oliveira. Segundo a Secretaria de Urbanismo, a construção do BRT irá reduzir a distância entre Região Oceânica e Charitas de 18 quilômetros para 10,5 quilômetros.

Os ônibus devem viajar a uma velocidade de 50km/h e tempo gasto para percorrer toda extensão da TransOceânica será de aproximadamente 20 minutos. Hoje, segundo a Secretaria de Urbanismo, os motoristas gastam 1 hora e 15 minutos de ônibus e 50 minutos de carro para fazer o trajeto completo. “Hoje é uma demanda de quem mora em Itaipu e no Engenho do Mato, não perder tempo de suas vidas no transporte e não demorar horas para chegar ao Centro. Os bairros da Região Oceânica vão ter opção de transporte com qualidade”, disse Verena.

A secretária de Urbanismo disse também que o projeto inclui a construção de uma ciclovia em toda a extensão da TransOceânica. As estações também terão espaços para estacionar as bicicletas. Porém, a passagem das bicicletas por dentro do túnel de 1,3 quilômetro ainda está sendo estudada. Uma das preocupações, diz Verena, é evitar os acidentes e atropelamentos na via, como ocorreu na implantação do BRT na cidade do Rio.

“O que acontece é que a infraestrutura nasce de forma dissociada do entorno. Aí a pessoa tem que atravessar uma rua para chegar à estação e acaba atropelada. A culpa é da pessoa? Não. Queremos trabalhar projetos específicos no entorno destas estações para que (a população) chegue com conforto e segurança às estações atravessando a rua com segurança e semáforos bem planejados. As vias transversais vão ter que ser pensadas de forma planejada”, afirmou o subsecretário Renato Barandier.

TransNiterói – A construção da TransOceânica não vai resolver o problema do trânsito na cidade. Segundo Verena Andreatta, apenas com a implantação também da TransNiterói o fluxo da população dentro da cidade poderá ser equacionado. O segundo BRT ainda está sendo planejado. A expectativa da Pasta é que as obras para o corredor exclusivo sejam iniciadas em 2015. A TransNiterói será ligada à TransOceânica na estação situada no DPO da 1ª Companhia e chegaria à Alameda São Boaventura via Largo da Batalha.

Segundo Verena, os dois BRTs vão desafogando o trânsito da cidade, melhorando a qualidade de vida também nos bairros centrais. “Queremos animar as pessoas a usarem o novo sistema de transporte público. Queremos que todas as pessoas que se locomovem de automóvel não cruzem a cidade, que está densa e não aguenta mais trânsito em regiões com o Centro e Icaraí. São Francisco, Bairro de Fátima e Santa Rosa também serão bairros com melhor qualidade de vida após essas vias”, afirmou a secretária.

Outra consequência da construção dos BRTs será a mudança da geografia urbana da cidade, afirma Verena. Com acesso mais rápido à Região Oceânica, o objetivo é que haja uma migração da população para aquela região, aliviando os bairros da Zona Sul. “As pessoas querem morar perto destas infraestruturas de transporte. Vão ser avenidas planejadas, com arborização e paisagismo. Essas infraestruturas direcionam o crescimento da cidade. São áreas que podem ser adensadas. A Região Oceânica é a que tem a menor densidade urbana da cidade. Toda infraestrutura de transporte gera valorização”, concluiu Verena Andreatta.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Novos ônibus começam a circular em Nova Friburgo, RJ, nesta sexta-feira


19/04/2013 -G1 Região Serrana



Começaram a circular nesta sexta-feira (19) parte da nova frota de ônibus na cidade de Nova Friburgo. Dez carros do novo modelo estão nas ruas, por determinação da Justiça, que exigiu até o dia 25 de abril a empresa Faol adicionasse 50 novos carros à sua frota. Esse é resultado de um acordo feito entre a prefeitura do município e a empresa de transporte coletivo, devido ao último reajuste no valor da passagem que passou de R$ 2,60 para R$ 2,90.

Novos ônibus da Faol, expostos em frente à prefeitura de Nova Friburgo (Foto: Vinícius Pousada/ Arquivo Pessoal)

Mesmo sem placa, os novos ônibus começaram a circular na manhã desta sexta (19). A frota tem três cores diferentes para diferenciar as regiões onde os veículos vão circular. Os novos ônibus são adaptados para transportar passageiros portadores de necessidades especiais. Os bancos preferenciais, para idosos e deficientes, ficam na parte traseira e o embarque será feito somente pela porta da frente.

A previsão é que até o fim do mês, 50 veículos comecem a circular na cidade. Parte dessa frota já deveria estar nas ruas desde o início da semana, mas o cronograma atrasou devido ao deslocamento dos veículos, que vieram da fábrica, localizada no Paraná.

A Justiça acompanhou o caso e informou que está apurando o motivo da demora na reposição da frota. Caso seja julgado que a empresa não conseguiu cumprir os prazos e as determinações previstas no contrato, a Faol pode pagar de R$ 50 mil por dia de acordo não cumprido.

O Detran informou que a empresa tem 15 dias para fazer o emplacamento dos novos veículos após a compra e está dentro do prazo. A Faol informou que os outros veículos da frota antiga, com mais de 11 anos de uso serão reformados. Sobre as cores das linhas, a empresa definiu que os ônibus de cor verde circularão na área Norte da cidade. Ônibus amarelos vão para a área Sul. A cor azul está nos ônibus com destino ao Centro e bairros próximos.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012